Notícias

Arício Andrade apresenta Comissão de Assuntos Legislativos da OAB Sergipe à presidência da Alese

Article cover 5602a157c5720be9

O presidente da APMAJU e Conselheiro da OAB Sergipe, Arício Andrade, apresentou nesta sexta-feira, 14, ao presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo, a Comissão de Assuntos Legislativos da OAB-SE. O encontro ocorreu na presidência da Alese e representou um passo importante para a classe advocatícia, já que o objetivo da iniciativa criada recentemente, é intermediar os interesses e colaborar com isso, com a formatação de projetos de lei que beneficiarão a advocacia e a sociedade sergipana. 

“Nosso objetivo foi mostrar ao presidente da Alese a forma de trabalho da Comissão de Assuntos Legislativos da OAB-SE, a qual visa intermediar todos os assuntos de interesse legislativo, referentes à advocacia quanto a outros interesses. Já temos tramitando aqui na casa um Projeto de Lei sobre o Direito do Consumidor, que por sinal está bem avançado. Também temos essa Comissão no âmbito nacional da OAB, que faz essa intermediação junto ao Congresso Nacional e nesta ocasião também aproveitamos para pedir ao presidente que se tiver interesse indique uma pessoa, no caso um advogado ou advogada, para também integrar nossa iniciativa”, destacou Arício Andrade, que é também presidente da Comissão. 

Participaram do encontro o procurador e membro da Comissão de Assuntos Legislativos da OAB-SE, Lucas Fialho, o advogado e diretor da Mesa Legislativa da Alese, Igor Albuquerque e o Deputado Estadual Samuel Carvalho. 

O presidente reforçou ainda, que a mediação dos interesses na Casa Legislativa e o auxílio na formatação de projetos, está entre os compromissos assumidos por todos os que compõem a Comissão. “Sabemos que essa casa é embasada no diálogo, com interesses que convergem e divergem, portanto, precisamos ter uma Comissão que sirva para intermediar constantemente esses interesses, aparar arestas até que consigamos formatar um projeto e chegar ao objetivo final, que é ter o mesmo aprovado, isso seja em benefício da advocacia ou da sociedade”, enfatizou.